A estrutura de um post – ETAPA 9 – página 3

A estrutura de um post

Uma vez escolhidas as palavras-chave que usará em seu post, agora, é hora de criá-lo. Antes de regras ou layouts específicos, o mais importante é que seu conteúdo seja de extrema relevância para a sua audiência, como já dito. Deste modo, você precisa oferecer informações que realmente venham ao encontro do que a sua audiência procura.

Independentemente de qualquer formatação, layout ou do modo de apresentar o conteúdo, ou ainda, do número de palavras, o seu post precisa cumprir com a promessa inicial, ou seja, ser coerente com aquilo que o usuário buscou na Rede de Pesquisa do Google.

Por mais que seja atraente você se imaginar como autor de dezenas ou mesmo centenas de posts, nunca pense nisso quando estiver criando um post. O mais importante é que cada um de seus posts responda às questões de sua audiência como nenhum outro. Qualidade será sempre infinitamente melhor que quantidade, neste caso.

Para isso, não há limites. Você pode se utilizar de todos os recursos que tiver para atender a esta demanda, seja através de textos, ilustrações, fotos, gráficos, áudios, vídeos, animações e tudo que puder imaginar e executar. E não precisa fazer opção por um recurso ou outro. Você pode utilizar todos, desde que contribuam para o engajamento de sua audiência e o entendimento de seu conteúdo.

Com o tema e as palavras-chave definidos, normalmente, iniciamos a criação de um post a partir de um roteiro e da coleta de informações que precisamos. Neste processo, não há muitas regras; cada um deve trabalhar da maneira mais fluída possível.

Há aqueles que já conhecem em profundidade o assunto e já tem organizado um roteiro mentalmente. Neste caso, basta colocar as ideias no papel de modo linear e já com um bom nível de detalhamento, indo do início ao fim do texto para, depois, somente criar e acrescentar outros recursos, conforme mencionado.

Por outro lado, quando não conhecemos muito bem sobre o que vamos falar, então, precisamos investir bem mais tempo em pesquisa e no entendimento do assunto. Neste caso, o mais comum é começarmos a modelar o conteúdo a partir de anotações, percepções e insights que temos durante a absorção das informações que encontramos. Então, começamos a escrever, a partir de um primeiro roteiro que pode ser modificado, conforme aprendemos, refletimos e o conteúdo se desenha.


Seja como for, precisamos sempre trabalhar com um olhar crítico sobre o que estamos fazendo e com desprendimento de nossa produção. Isto é, esteja pronto para fazer e refazer o trabalho quantas vezes forem necessárias e nunca deixe o cansaço dominar o processo. Se você perceber qualquer sinal de fadiga, faça uma pausa ou foque em outra tarefa que lhe pareça mais atraente. Um bom post pode levar dias para ser concluído e você precisa estar pronto para isso.


Pense, também, que este trabalho que terá na composição de seus posts será recompensado, quiça, por meses ou mesmo anos, e repercutirá diretamente nos resultados de seu negócio.

Lembre-se: você está trabalhando em um Sistema de Negócio Online baseado em ganhos compostos, conforme já explicamos no início deste programa. Então, cada um de seus posts será somado à totalidade de seus pequenos esforços que, juntos, serão capazes de gerar crescimento exponencial e renda passiva infinita.

Ditas todas estas considerações preliminares, a fim de dinamizar o trabalho, você pode iniciar a criação de seus posts, a partir de uma estrutura matriz e alguns parâmetros que servirão para nortear o desenvolvimento de seu conteúdo.

Como o que permeia todo o conteúdo é o texto, podemos dizer que o mínimo seria algo entre 600 e 1000 palavras. Mas um bom post, completo e com bastante conteúdo pode ter 4000 palavras ou mais. Tudo depende do assunto em questão e daquilo que é preciso expor.

Em seu título, lembre-se de colocar suas palavras-chave logo no início dele, para depois colocar outras palavras-chave secundárias em seguida.

Este é um dos cuidados fundamentais para conseguir ranquear o seu post nas pesquisas, e com as palavras extras que colocar, que farão parte da “calda longa” do seu título, você poderá conseguir bom posicionamento em pesquisas correlacionadas, também.

Além do título principal, baseado nas palavras-chave que escolheu, é recomendável você criar subtítulos de modo generoso. Isso ajudará na organização do conteúdo e facilitará a leitura e localização das informações contidas ali. Mesmo que sua audiência siga em uma leitura linear do post na íntegra, é muito comum, antes ou durante a leitura, as pessoas fazerem uma rolagem da página para ter um panorama do conteúdo.

Deste modo, destaque tudo o que achar importante, seja através de subtítulos, citações, textos em bold e itálico, caixas com cores e tons, imagens para pontuar ou descrever melhor certos conceitos, filetes divisores e outros recursos visuais. Claro, tudo dentro do bom senso e com uma estética agradável e coerente com o conteúdo.

É preciso achar uma boa equação entre estes destaques e os respiros. Assim como a pausa é fundamental na música, na vida e em nossos posts, isto se faz verdadeiro, também. Do contrário, se existir um excesso de destaques, tudo acabará ficando com o mesmo peso novamente e não tão agradável de se ver.

Na diagramação de seus posts, você pode deixar os espaços entre linhas e entre parágrafos bem maiores que aqueles encontrados em livros e outras publicações. Em web, não devemos condensar o conteúdo a ponto de parecer denso – muito pelo contrário: uma página pode ter o tamanho que precisar em sua altura. Siga livremente na criação de seus posts e não se esqueça de cuidar para que eles se apresentem bem nos diversos aparelhos, sejam desktops, tablets ou mobiles.

Cuidados adicionais para ranquear seus posts

Além das outras técnicas de SEO (Search Engine Optimization) já vistas na etapa anterior, é importante que as palavras-chave que escolheu para o título, estejam em seu texto, também.

Isso não quer dizer que você precisa inseri-las repetidamente ao longo de todo o texto, mas as palavras-chave escolhidas devem fazer parte do conteúdo, naturalmente, de modo que isso aconteça entre as primeiras 100 ou 150 palavras do seu texto.

Após o título, é preciso que o texto introdutório contenha, senão as próprias palavras-chave escolhidas, palavras que façam sentido óbvio para o assunto do qual trata o post. E diria ainda mais, que você busque dizer o que precisa, também, recheando estes parágrafos iniciais com termos muito alinhados com o assunto em voga, deixando muito claro o teor do seu post.


Há alguns anos, o Google considerava a repetição de palavras-chave como um tipo de confirmação de que um post falava sobre um dado assunto. Hoje em dia, a inteligência do Google evoluiu e agora devemos usar “LSI Keywords”. A sigla “LSI” significa “Latent Semantic Indexing”, o que, em tradução literal, quer dizer Indexação Semântica Latente. De modo prático, isto seria algo como uma organização de termos relacionados ao conteúdo, em que o sistema reconhece os termos associados às palavras-chave dentro do que é apresentado.


Então, ao fazer uma varredura num post, os Googlebots fazem a leitura das palavras-chave que estão no URL, seguem para o título e para o conteúdo, em que são capazes de diagnosticar se as palavras-chave tem correlação com as outras palavras do texto.

Especialmente na primeira terça parte do post, é importante, também, que o texto contenha as palavras-chave em subtítulos com fonte em tamanho entre H1 e H3. Aqui, não falamos da repetição do título principal mas, sim, da palavra-chave ou das palavras-chave que escolheu apenas.

Quanto a inclusão das palavras-chave no URL do post, se o domínio for, por exemplo, “https://www.cutedreamers.com”, o endereço de um post seria “https://www.cutedreamers.com/fotografia-aerea”, em que “fotografia-aerea” seria o slug, como já visto.

Ainda sobre o URL com as palavras-chave para seu post, procure sempre deixar o caminho o mais curto possível. E, como já ensinado, sempre utilize hifens ( – ) entre as palavras e nunca o sinal de “underscore” ( _ ) ou qualquer outro sinal.

E, por último, como o Google pode não reconhecer suas imagens sem que estejam devidamente identificadas, é importante que você nomeie todas elas de um modo descritivo. Então, se você escolheu uma imagem que mostra uma vista aérea de um edifício, por exemplo, você pode nemeá-la como “vista-aerea-de-edificio.jpg”.

Além disso, no WordPress, preencha o campo “Alt text”, o texto alternativo”, das suas imagens. Você acessa este campo na área de edição de posts, na coluna “Block” da direita. As opções de configuração aparecerão assim que você clicar na imagem. No campo “Alt Tag”, simplesmente, descreva a imagem de modo simples e objetivo. Com isso, você terá mais chances de ranquear as suas imagens nas pesquisas, também.

[wpc_progress_graph course=”Exceed Journey Program”]

[complete_button course=”Exceed Journey Program”] [progress_ratio course=”Exceed Journey Program”]


Responses